Revolução na Criação de Conteúdo: Como a IA está transformando as pessoas, o mercado e a educação

Vamos mergulhar nas maravilhas da Inteligência Artificial e seu impacto transformador na criação de conteúdo, no mercado de trabalho e na educação. Convidamos Vandré Sales, CEO da Meliva.AI, a compartilhar suas valiosas perspectivas a respeito do tema que tem desafiado a todos nós, seres humanos. Com uma trajetória diversificada em inovação e empreendedorismo, Vandré é engenheiro e especialista em Inteligência Artificial e Metaverso, além de atuar como Professor de MBA em Negócios Inovadores e Design Thinking. Em parceria com Guilherme Gondim, especialista em comunicação e marketing, Ari Pellicioli, CEO da ConsulPaz, conduziu o bate-papo com Vandré, para explorar as dimensões da inovação e da inteligência artificial para além do incrível Chat GPT, abrangendo seus recursos, possibilidades e transformação no universo da criação.  

Vandré Sales falou, primeiramente, sobre a trajetória da Meliva. No início deste ano, durante o crescimento das inteligências artificiais generativas e a ascensão do chat GPT, o empresário percebeu uma oportunidade que já vinha sendo preparada com seu time há dois anos. A Meliva nasceu, então, como resposta à iminente diversidade de tecnologias de IA, com o propósito claro de simplificar e otimizar a criação de conteúdo. 

Desde o início, a visão era de ser um ecossistema agregador de motores de IA. Essa visão agora se concretizou e a Meliva se destaca como um dos maiores agregadores globais de motores de IA, colaborando de maneira sinérgica para transformar necessidades de conteúdo em criações prontas para publicação. A plataforma abrange diversos formatos, incluindo produções de áudio, vídeo, texto e imagens, proporcionando uma gama completa de possibilidades criativas.  

Capacitando a Criatividade: Transformando Ideias em Conteúdo com a Meliva       

A Meliva proporciona uma experiência única aos usuários. Por exemplo, qualquer pessoa pode facilmente digitar um termo-chave como “IA no mundo corporativo” na plataforma e, em um simples clique, gerar um artigo inédito, otimizado para SEO, com tags relevantes, conteúdo textual, imagens e até mesmo um título atraente. O processo de criação de conteúdo se torna mais simples. Assim, permite priorizar a criatividade e reduzir drasticamente o tempo entre a ideia e a publicação. 

Com a Meliva, Vandré e sua equipe materializaram uma solução que não apenas antecipa a evolução das tecnologias de IA, mas também coloca o poder da criação de conteúdo nas mãos de todos. Seja para uma postagem em rede social, um artigo para o LinkedIn ou qualquer outra plataforma de comunicação. “A ideia é dar uma liberdade criativa para as pessoas poderem acelerar, reduzir de certa forma o processo e o tempo necessário entre ter um insight e ter a sua mensagem já disponível para as pessoas na internet”, explica. 

Trajetória da IA: Das Origens Históricas ao Horizonte de Possibilidades Futuras

Guilherme Gondim salienta a revolução gerada pelo chat GPT e suas inteligências artificiais generativas, que agora a discussão se volta para os avanços da IA 4.0, após a etapa 3.5, questionando sobre o futuro. Vandré Sales compartilha uma visão panorâmica da IA. Ele desmistifica a noção de que a inteligência artificial é um conceito novo, relembrando que sua origem remonta ao início da computação. Matemáticos da década de 20 e 30 já discutiam a possibilidade de máquinas que processassem informações complexas e simulassem comportamentos humanos. Isso demonstra que as raízes da inteligência artificial têm profundas ligações históricas. 

Vandré reforça que a IA tem experimentado uma trajetória de crescimento há décadas, mas só recentemente começou a mostrar sua verdadeira curva exponencial. A evolução da capacidade de processamento da IA supera a preparação da sociedade e das empresas para lidar com essa mudança. Ele enfatiza que a rápida aceleração da IA cria múltiplos futuros. Ou seja, essas realidades futuras, imersas em uma tecnologia em rápida expansão, apontam para um território ainda inexplorado de potencialidades e desafios, delineando um horizonte rico em oportunidades de mudança. “Que futuro é o futuro daqui seis meses, daqui dois anos e o futuro daqui dez anos? Porque são três universos com realidades completamente diferentes”, explica.  

Os Desafios da Inteligência Artificial e a Transformação do Mercado de Trabalho 

Ari Pellicioli pergunta para Vandré quais são os principais desafios a serem enfrentados nesse domínio tecnológico, especialmente no que diz respeito à IA. Vandré Sales diz que o desafio central não se limita ao âmbito corporativo, mas sim à esfera humana. Para ele, ocorreu uma transformação equiparável à terceira revolução industrial, ao longo das últimas décadas, marcada pela automação extrema das tarefas operacionais humanas. O que emergiu desse período de transformação foi a substituição de empregos e a desvalorização de funções que anteriormente eram tidas como essenciais. No entanto, Vandré ressalta que, como parte da jornada dessa revolução, a extinção de empregos é apenas um aspecto transitório. O desaparecimento de empregos é uma faceta inevitável durante o período de transformação; contudo, a conclusão dessa fase é seguida pela criação de novas profissões.  

Vandré destaca que a atual revolução desafia a forma como os seres humanos se preparam para interagir com a IA. Ele alerta a previsão de que, nos próximos três anos, a IA substituirá uma série de postos de trabalho táticos, incluindo gerentes, analistas e supervisores. Mas, por outro lado, as decisões estratégicas e criativas permanecerão protegidas por pelo menos mais cinco anos. Sobre o desenvolvimento futuro do chat GPT, da versão 3.5 para a 4.0 e a antecipação da versão 5.0, vão ocorrer transformações ainda mais significativas com a chegada da superinteligência artificial.  

A superinteligência, em particular, desperta preocupações e reflexões sobre uma IA capaz de criar seus próprios prompts, indicando uma fase de mudanças profundas nos cargos de tomada de decisões e estratégicos. “Eu hoje, por exemplo, me autointitulo de engenheiro de prompt de IA, que é o que eu mais tenho feito ultimamente. Mas eu sei que essa profissão, vai ser extinta daqui cinco anos”, afirma.  

Evolução da Educação na Era da IA 

Guilherme Gondim traz o tema da educação na discussão com Vandré, sobre como a IA está remodelando o processo de aprendizado. Guilherme reflete sobre a conveniência moderna e como a tecnologia tem eliminado esforços físicos e mentais. Ele, então, salienta a mudança de paradigma em relação à obtenção de conhecimento, passando de fontes físicas, como enciclopédias, para motores de busca e, agora, para a IA generativa. A convergência dessas mudanças levanta uma questão crucial: como a educação e o processo de aprendizagem serão impactados por essa evolução?  

Vandré questiona o tradicional papel de professor e aluno, revelando que os influenciadores digitais e youtubers se tornaram educadores, ultrapassando os limites das instituições acadêmicas pelo alcance de massa. Outro aspecto enfatizado por Vandré é o processo tradicional de avaliação que é colocado em xeque diante das soluções apontadas com facilidade pela Inteligência Artificial.  

Cabe focar, portanto, em incentivar o aprendizado analítico e o questionamento crítico dos alunos. “Eu posso dizer para o aluno: use o chat GPT para resolver o problema tal. Agora você deve gravar um vídeo para o professor explicando quais são os pontos mais frágeis das afirmações da IA. Aonde que a IA pode ter errado? Se você coloca o aluno nesse contexto, você está exigindo do aluno que ele tenha uma capacidade de compreensão acima até mesmo do que a IA é capaz”, explica. 

Confira a entrevista completa na plataforma de sua preferência.

Assista no Youtube:

Ouça no Spotify:


Posts Relacionados