Fundação Gerações Impulsiona o Empreendedorismo Social em Porto Alegre

Conheça a Caravana DUXtec e outras iniciativas transformadoras, em entrevista com Karine Ruy, coordenadora-geral da Fundação Gerações 

Uma iniciativa inovadora está movimentando Porto Alegre, impulsionando o desenvolvimento sustentável e o empreendedorismo social na região. A Caravana DUXtec, selecionada no primeiro edital da Coalizão pelo Impacto na cidade, surge como uma peça-chave nesse cenário. Criado pela Fundação Gerações, o programa vai além de um simples workshop, abrangendo visitas guiadas, mentorias e seleção de projetos. Em entrevista à revista Conteúdo Compartilhado, Ari Pellicioli, CEO da ConsulPaz, e Caco da Motta, editor da revista, conversam com Karine Ruy, coordenadora-geral da Fundação Gerações, para explorar as inovações por trás dessa iniciativa inspiradora. 

Conheça a Fundação Gerações

A Fundação Gerações é uma organização da sociedade civil, que completa 15 anos agora em 2023. Ela surgiu com o objetivo de trabalhar na qualificação do ambiente social e apoiar as outras organizações sociais, na qualificação de seus trabalhos de captação de recursos e pesquisas. “São diferentes oportunidades de atuação em rede, como uma organização articuladora”, explica Karine.   

Em 2023, a Fundação Gerações passa por um período de reposicionamento, reavaliando seu modelo de atuação. Com um compromisso direto com a sociedade, a fundação está refinando suas entregas em duas áreas cruciais. Primeiramente, foca na formação de lideranças jovens e sociais, com uma perspectiva voltada para o coletivo e a sociedade em geral. Segundo, direciona-se para o âmbito dos negócios de impacto social e socioambiental, em resposta ao crescimento dessa agenda tanto no Brasil quanto internacionalmente.  

Ao reconhecer a lacuna de iniciativas específicas para abordar os desafios complexos nas periferias das comunidades, a Fundação Gerações formata, então, o programa chamado de DUXTec, Redes de Inovação Social, em parceria com o Tecnopuc, que tem o apoio do Instituto Helda Gerdau. O Projeto foi beneficiado no primeiro edital da Coalizão pelo Impacto. A Coalizão é um movimento que está acontecendo em seis cidades do Brasil: Belém, Fortaleza, Brasília, Campinas, Paranaguá e Porto Alegre. Além disso, aportará R$ 34 milhões para desenvolver projetos, simultaneamente, em parceria com organizações locais.  

Fortalecendo Comunidades Através de Negócios de Impacto Social 

A ideia da Fundação Gerações é formar uma cultura de negócios de impacto social para diversas comunidades gaúchas. “Começamos pela Restinga, fomos no Morro da Cruz e depois na Bom Jesus. O Morro da Cruz, para quem não é de Porto Alegre, tem uma vista linda da cidade, com potencial de turismo, de economia criativa”, lembra a coordenadora. Frequentemente, as discussões nas comunidades têm como base um dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) estabelecidos pela ONU para 2030. Os tópicos discutidos englobam mobilidade, empreendimentos locais, alimentação saudável e inclusiva, comunicação e informações. 

“Eu entendo que hoje em dia todas as crianças nas escolas, todo mundo tinha que estar com os ODS na ponta da língua para entender que não temos muito tempo. É um assunto muito sério, principalmente quando a gente pensa nos desafios ambientais, mas os sociais também, porque tudo anda junto”, defende. 

Nas conversas realizadas até o momento, os ODS relacionados à educação, geração de renda e inclusão produtiva no mundo do trabalho têm emergido como temas centrais. Embora alguns objetivos sejam complexos e demandem a participação de atores poderosos e do poder público, outros, como educação, empoderamento feminino e questões de gênero, abrem espaço para ideias de negócios comunitários e abordagens empreendedoras. 

A Caravana DUXtec

Ari pergunta para Karine sobre a integração da Caravana DUXtec à rede de inovação de Porto Alegre, considerando tanto a inovação social quanto o ecossistema de inovação da cidade. Ela explica que a próxima etapa envolve visitas técnicas reversas. Nessa fase, os empreendedores que se envolveram no programa explorarão ambientes de inovação, como o Tecnopuc e o Instituto Caldeira, por exemplo. Dessa forma, estas visitas visam criar oportunidades de acesso a espaços que antes pareciam inacessíveis, transmitindo a mensagem de que esses ambientes também são para eles. A diversidade é incentivada tanto na prática quanto no empreendedorismo, com o intuito de conectar com o setor de inovação do poder público. “Também temos que conectar e entender o que o poder público está pensando e formatando para a cidade com o empreendedorismo de base periférica”, reforça Karine.  

Caco da Motta questiona Karine sobre a Coalizão pelo Impacto e sua abordagem para promover negócios de impacto, bem como a alocação de investimentos para a região de Porto Alegre. Karine, então, explica que a Coalizão foi lançada no ano anterior, visando fortalecer entidades e organizações que atuam no ecossistema empreendedor para trabalhar com negócios de impacto social. Assim, até 2026, a Coalizão aportará R$ 34 milhões para desenvolver, simultaneamente, em parceria com organizações locais, seis ecossistemas de impacto em cidades das cinco regiões do Brasil: Belém, Fortaleza, Brasília, Campinas, Paranaguá e Porto Alegre.   

Potencializando Mudanças Através de Negócios Sociais Inovadores 

Karine destaca a importância de aproveitar as oportunidades para fortalecer a cidade e o setor privado por meio dos negócios de impacto social. Ela menciona exemplos de negócios atualmente acelerados pela Fundação Gerações. Dentre eles, estão iniciativas para empregabilidade jovem, visibilidade de negócios periféricos liderados por mulheres empreendedoras e serviços de marketing digital para pequenos empreendedores. Então, a coordenadora-geral da FG convida todos a conhecerem a Coalizão pelo Impacto e a se envolverem nessa iniciativa: “Muitas empresas já estão interessadas em participar. A gente precisa de uma rede. Primeiro conhecendo o tema para depois também poder participar de forma mais ativa nessa agenda localmente”. 

De acordo com Karine, é fundamental enfrentar preconceitos ao abordar comunidades e periferias. Ela enfatiza que, apesar dos desafios presentes, essas áreas são dotadas de um notável potencial e talento. Durante a pandemia, ela destaca que as comunidades conseguiram unir-se e demonstrar uma resiliência exemplar, superando adversidades mesmo com recursos limitados. “Os empreendedores de outros setores têm muito a aprender com os empreendedores das comunidades”, enfatiza. 

Além disso, destaca como a perspectiva das pessoas muda ao visitar esses espaços e vivenciar de perto o trabalho realizado, como acontece no Instituto Caldeira e no Tecnopuc, por exemplo. 

Fortalecendo a Rede: Convocação para Engajamento e Apoio Ativo 

Ari Pellicioli elogia a iniciativa da Fundação e ressalta o brilho nos olhos de Karine ao falar sobre o projeto. Ari parabeniza a Fundação pela abordagem transformadora, destacando que não se trata apenas de uma ação social pontual, mas de uma trajetória contínua de transformação. Além disso, enaltece o potencial encontrado em empreendedores, independentemente da região ou preconceitos existentes, realçando a importância da mudança cultural para a inclusão social. Ari aproveita a oportunidade para saber mais sobre os próximos passos da Fundação Gerações e da Caravana DUXtec. Ele busca entender como ele e outros empreendedores podem apoiar e contribuir para o crescimento dessas iniciativas. 

Karine aproveita, então, para revelar as novidades da Fundação Gerações para comemorar seus 15 anos. Ela destaca o lançamento do primeiro Fundo Comunitário do RS, em que empresas podem participar e doar recursos. Essas doações serão destinadas a movimentos de impacto em Porto Alegre, com transparência e credibilidade. Além disso, anuncia o lançamento de um programa de formação de lideranças comunitárias e um circuito de formações sobre o programa pró social, uma lei de incentivo fiscal no estado.  

“As empresas que querem trabalhar com inovação social, querem apoiar projetos, podem nos procurar. A gente tanto pode fazer conexões, quanto também desenhar entregas específicas para algumas necessidades do setor privado”, convida.

Confira a entrevista completa na plataforma de sua preferência.

Assista no Youtube:

Ouça no Spotify:


Posts Relacionados